Atividades adaptadas “O desemprego em debate”

Mobilização

Educadoras e educadores agora podem aplicar a atividade de forma remota

Adaptação de Atividades do Guia Tô no Rumo – Jovens e escolha profissional.

Adaptamos a atividade “O desemprego em debate” para a aplicação em forma remota. A atividade propõe a problematização de algumas teses sobre os motivos do desemprego. 

Ficha de Atividades

Atividade O desemprego em debate
Tempo 50 minutos (1 aula)
Objetivos Promover uma discussão sobre os possíveis motivos que geram o desemprego no Brasil.
Materiais

Google forms (modelo de formulário aqui), plataforma de encontro virtual.

Processo

Apresente às/aos estudantes a proposta da atividade. Compartilhe o link do formulário com as “Quatro teses sobre o desemprego”, pedindo que respondam (concordo ou discordo) de acordo com suas opiniões sobre os temas das questões. Combine um período de tempo para que as estudantes respondam às questões.

Síntese das quatro teses sobre o desemprego:

1. O desemprego é causado pela baixa escolaridade da população brasileira. 2. O problema é o excesso dos encargos sociais e trabalhistas. 3. Somente os acomodados sofrem com o desemprego. A responsabilidade de conseguir trabalho é das próprias pessoas. 4. O desemprego é causado pelo modelo de desenvolvimento capitalista, que busca o lucro em primeiro lugar.

Após a resposta das/os estudantes e uma breve análise das respostas, proponha a discussão com a turma de cada uma das quatro teses. Cite as respostas do formulário e peça que as/os estudantes que concordaram ou discordaram da tese apresentada, expliquem o porquê.  

Aproveite para a partir das explicações das/os estudantes e do debate gerado, desconstruir noções como a reforçada pela tese três, – de que os indivíduos a partir de seus esforços individuais são os únicos responsáveis por sua condição de desemprego.

Atenção educadora/or

O que são encargos sociais e trabalhistas? Uma das teses utilizadas nesta dinâmica é a de que o excesso de encargos trabalhistas e sociais desestimularia a criação de postos de trabalho no Brasil, contribuindo para a informalidade e para o desemprego. Trata-se de uma ideia bastante disseminada em nosso país e, por isso, também é muito conhecida pelas/os jovens. Todavia, muitas pessoas têm pouca clareza do que são encargos trabalhistas e sociais. E conhecer estas definições faz muita diferença na hora de se posicionar. Uma estratégia que utilizamos no debate desta tese consiste em, num primeiro momento, deixar as/os estudantes se posicionarem a partir de seus conhecimentos prévios e, depois, dar exemplos e uma breve explicação sobre o que são encargos trabalhistas (como férias, 13º salário, vale-transporte, adicional de remuneração por hora extra, entre outros) e encargos sociais (fundo de garantia por tempo de serviço, previdência social etc.). 

Comentários

Os indicadores do desemprego no Brasil mobilizam frequentemente intensos debates entre especialistas, sindicatos, agentes governamentais e empresários. Esses debates chegam aos nossos ouvidos por meio dos meios de comunicação que, muitas vezes, apresentam ideias e hipóteses sobre os motivos para o crescimento ou diminuição do número de desempregados no país. Verifique com os jovens se eles já tinham parado para pensar sobre este tema, se já tinham escutado alguma dessas ideias e onde escutaram. 

A proposta dessa atividade é promover uma discussão com os estudantes sobre essas ideias que buscam explicar os motivos do desemprego em nossa sociedade. É possível prosseguir no tema a partir do uso de outros suportes como a produção cinematográfica, visto que há muitos filmes (ficções e documentários) que tratam do assunto e podem apresentar nuances da questão ou ser objeto de análises e interpretações. 

 

Deixe um comentário

  • (não será exibido)

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>